“Selfies” em exagero é doença que pode levar à depressão e ansiedade

Quem é viciado em selfies sabe que o título desse texto é verdadeiro; até porque (convenhamos), passar o dia a se fotografar não é normal; sem falar que isso deve ter como finalidade, quase certa, transformar-se em uma postagem de rede social e obter curtidas e comentários.  Logo, o (a) autor (a) da foto ficará pendente e ansioso pela reação dos “amigos” – quando não aparece ninguém curtindo e/ou comentando a pessoa frustra!  Sente-se “mal amada” e rejeitada pelos seguidores e por quem ela considera como “amigo” e, pior, começa a se comparar com outros “perfis” que são mais populares.

Nessa hora, os “viciados” em selfies e redes sociais, distorcem a realidade!  Passam a enxergar a sua vida como uma “bosta”;  algo insignificante diante das outras vidas que ele (ela) vê “bombando” na internet – o que, quase sempre, é um equívoco. Praticamente ninguém tem a vida que compartilha!  As pessoas tentam parecer o que não são por vários motivos; o que agora não vale a pena discorrer porque, aqui; o assunto é outro.

Tudo o que foi relatado, somado a inveja que alguns já “naturalmente” possuem, leva à depressão, ansiedade e em situações mais extremas ao suicídio.

Com a invenção das redes sociais e mais recentemente as “selfies”,  a necessidade do Ser humano de ser amado pelo mundo, só aumentou – a competição pela popularidade ou extrema carência tem lugar garantido no mundo virtual.

Então, você que está lendo o texto e acredita que pode estar passando do limite no uso dessa tecnologia, responda-me com sinceridade:

– O que espera quando posta, diariamente, foto do tipo selfie?

Mas, veja bem; a pergunta NÃO é dirigida a quem posta esse tipo de foto esporadicamente, para servir de perfil ou capa de alguma rede social.  Estamos a questionar quem passa o dia a postar.

Pesquisadores da Universidade de Nottingham Trent, na Inglaterra, e da Thiagarajar School of Management, na Índia afirmaram que isso passou a ser considerado como um transtorno mental, nomeado de  “selfitis crônica”.

Os referidos pesquisadores constataram que tirar mais de 6 selfies por dia já constitui transtorno mental!

-Alguém aí sentiu que precisa de tratamento?

Pois é, ao constatarem que 6 selfies ou mais já constitui transtorno, muita gente no Brasil vai precisar se tratar.  Infelizmente o difícil vai ser encontrar ajuda para acabar com um “transtorno” que é “queridinho” de parcela significante dos jovens – sem falar que aqui não há tratamento disponível e gratuito para quase nada (físico), imagine para doença de fundo mental!  Lamentavelmente, com isso, o número de transtornos mentais só tendem a crescer!

*Aproveitem para conhecer um preparatório completo para concurso na área de PSICOLOGIA (vídeo aulas e ebook) – com bônus e acompanhamento virtual – AQUI.

No Reino Unido, a Sociedade Real para a Saúde Pública  (RSPH, na sigla em inglês) pede ao governo britânico e às plataformas de redes sociais que instalem alertas pop-up em celulares, a serem ativados para pessoas que ficassem online por mais de duas horas. A proposta se segue a pesquisas e a manifestações de entidades de defesa infantil que argumentam que as redes sociais trazem malefícios aos jovens.

Em janeiro, mais de cem especialistas e organizações internacionais em saúde infantil pediram ao Facebook que extinguisse seu aplicativo de mensagens voltado a crianças com menos de 13 anos, o Messenger Kids, alegando ser “irresponsável” almejar estimular as crianças pequenas a usar a rede social.

selfitis1

“Sete em cada dez adolescentes nos disseram que receberam apoio (de pessoas) nas redes sociais em tempos difíceis”, diz Shirley Cramer, presidente-executivo da RSPH. “Mas também sabemos que a depressão e a ansiedade são alimentadas pelas redes sociais”. (Os 3 últimos parágrafos desse texto  foram retirados do G1.Globo.com – veja AQUI na íntegra).

Por Elane F. de Souza (Advogada, Articulista, autora e administradora deste Blogs e do Diário de Conteúdo Jurídico, Cotidiano e o Direito e a fã page de Diário de Conteúdo Jurídico no facebook.

Recentemente retornamos para o JUSBRASIL – veja nosso novo perfil AQUI.

Fontes finais eimagem: por G1.com 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios